Arquivos do Blog

“Sempre fui amigo do Clodovil”; Leia na íntegra a entrevista com Ronaldo Esper

Primeiramente Ronaldo, quero agradecer a ti, por ceder um pouco do seu tempo respondendo as perguntas, que certamente é curiosidade de todos nós, do “Batalha do ibope”, mas principalmente dos leitores e dos seus fãs, espalhados pelo país. Vamos lá?

 

Como é o Ronaldo longe das câmeras? O que gosta de fazer nas horas vagas? 

O Ronaldo longe das câmeras é uma pessoa extremamente ocupada, pois além da tv, tem o atelier de alta costura que toma muito tempo em razão dos atendimentos personalizados que desenvolve, além do necessário para criar. No tempo vago, que é raro, gosta de ler muito, sobre todos os assuntos, com preferência de biografias e clássicos. É um cinéfilo inveterado, porém não frequenta as salas de cinema, optando pelo dvd, em razão da falta de tempo.

 Você já posou nu. Se arrepende? O cachê valeu a pena?

 Nas ocasiões em que posei nú, que não foram muitas, sem exposição da genitália, as fotos tiveram caráter puramente artístico, com muita criatividade e bom gosto, não existindo arrependimento algum. A oportunidade surgiu de uma entrevista não existindo nenhum objetivo prévio traçado. Obviamente, como todo artista merece, houve pagamento de um cachê, em razão da revista entender que o trabalho fotográfico e de exposição do artista era de bom nível. Não foram feitas as fotos pelo cachê, mas o valor pago valeu a pena.

 Em 2005, você abriu processo contra o Clodovil por danos morais, conte-nos como foi a situação, e como era sua relação com ele… 

Sempre fui amigo do Clodovil, tendo cada um de nós se direcionado para áreas diferentes da alta costura. O episódio do processo se deveu a uma falha da parte dele que, levianamente, imputou a minha pessoa um ato que não correspondia com a verdade e que, para esclarecer as dúvidas que surgem quando são lançadas mentiras sobre alguém, tive que processá-lo para responsabiliza-lo pelo que foi dito. O processo se estendeu até depois de sua morte e tive sucesso com a condenação de seu espólio em pagar-me os danos causados, valor este que ainda não recebi por causa de recurso processual que o espólio entrou, muito embora eu já tenha declarado que este valor poderia ficar com o Instituto Clodovil em memória do amigo de nos deixou há algum tempo.

 E a candidatura a deputado? Se decepcionou com a quantidade de votos obtida? Qual era seu intuito na política? Pretende tentar novamente? 

Minha candidatura a deputado foi uma boa experiência no campo político, onde pude conhecer melhor os bastidores da política. A quantidade de votos obtida só enriqueceu a experiência pela qual passei, muito embora o partido tenha me garantido que os números não teriam sido aqueles que oficialmente foi decretado. Como eu era novato no sistema político e eleitoral, não posso afirmar se houve ou não manipulação, mas foi uma rica experiência. Meu intuito na política era ser um representante da moda nacional, pois esta faz parte da cultura de um povo, além de ser um excelente mercado econômico gerador de empregos e divisas para o país. Estava tudo certo para minha candidatura como vereador  nas próximas eleições, porém, como surgiu minha contratação pela Rede CNT de televisão, me oferecendo um programa diário e em cadeia nacional, o projeto político foi adiado, pois poderei fazer mais pela moda na televisão.

 Já na Rede TV! Você tinha um quadro de boa audiência no “Superpop”, todavia existia alguns pequenos desentendimentos entre você e Gimenez . Você chegou a perguntar se a apresentadora lia Machado de Assis. Qual era sua relação com Luciana? Ela teve influência na sua saída da emissora?

 Realmente, minha participação no Superpop era a grande responsável pelos picos de audiência da programação. Contudo, nunca houve desentendimentos entre minha pessoa e Luciana Gimenez, sendo que as contrariedades que surgiam no ar faziam parte do script. Minha pergunta sobre Machado de Assis surgiu durante um quadro entre vários convidados do qual eu participava e que a Luciana deixou transparecer que desconhecia a personagem Capitu, onde aproveitamos a deixa para transformar a situação em piada. Hoje, a apresentadora mantém jocosamente esse fato dentro de sua coleção de gafes, assim como eu mantenho em primeiro plano meu histórico tombo em um dos programas do Superpop.

 No episódio dos vasos, você foi absolvido pela Justiça. O que realmente aconteceu na ocasião?

 O que aconteceu, foi que pessoas mal intencionadas, aproveitando-se de um mal entendido patrocinado por um pobre jardineiro de cemitério, que não soube distinguir lixo de material de propriedade de alguém, usou minha imagem nacionalmente conhecida para desvirtuar os fatos e ganhar aqueles minutinhos de celebridade. Como você disse, fui absolvido, em duas instâncias e, cá entre nós, somente pessoas pobres de espírito poderiam acreditar que um estilista como eu fosse se dar ao trabalho de furtar dois vasos de um cemitério que estavam jogados no lixo. O próprio juiz sentenciante disse que o que está no lixo é lixo e não pertence a ninguém.

 Ainda no assunto dos vasos, você acredita que sofre preconceito e desdém da população e principalmente da mídia pelo fato? Se sente prejudicado na televisão após o ocorrido?

 A mídia cumpriu o seu papel no esclarecimento dos fatos, pois também fez divulgação do resultado do processo. Não me sinto vítima de preconceito e nem de desdém da população, pois sempre sou aclamado como o artista que sou. Obviamente sempre aparece um ou outro de baixo nível cultural e de deficiencia intelectual que joga uma piada sem graça ou faz alguma referência ao episódio, mas como dizia La Pasonaria, os cães ladram e a caravana passa.

 O que você gosta de assistir na televisão?

 Meu tempo é realmente muito curto para ver televisão, me limitando a noticiários e algumas séries históricas, principalmente da TV Cultura. As vezes zapeando pelos canais, paro para ver um ou outro programa que me chame a atenção, mas não sou dependente da telinha.

 Falando nisso, você está com um novo projeto na CNT. Conte-nos detalhes da nova produção.

O novo projeto da Rede CNT é fruto de um longo namoro que  resultou no lançamento de meu programa de televisão diário, em horário nobre, para a rede nacional, onde farei as famosas ALFINETADAS, criticando as celebridades mal vestidas e elogiando aquelas de bom gosto. Sempre que possível apresentarei minhas criações e estaremos criando uma entrega mensal do ALFINETE DE OURO para a celebridade mais bem vestida do mês. O programa irá ao ar de segunda à sexta feira, às 21h00, juntamente com Jackeline Petkovic. Estamos ainda em estudo para um programa de maior duração  de variedades mais direcionado à moda e estilo que é a minha praia.

Ronaldo, quem quiser te achar nas redes sociais, entrar em contato, pode te achar como? Divulgue seus contatos.

Estou revitalizando minha participação no campo midiático. Hoje estou conectado ao facebook e ao twitter, mantendo um blog e reestruturando meu site que trará detalhes revolucionários no campo das noivas, madrinhas e debutantes. Estou também em negociação para retornar ao rádio e às colunas de moda nos jornais, além de estar desenvolvendo uma personagem para o teatro sob direção de Ronaldo Ciambroni. Minha revista de noivas e de debutantes está nas bancas.

facebook: http://www.facebook.com/#!/ronaldoesper50anos

twitter: https://twitter.com/ronaldoesper50

blog: http://ronaldoesper.blog.br/

E-mailronaldoesper50anos@yahoo.com.br

Quero agradecer em nome de toda equipe do Batalha do ibope sua participação no “Bdi Entrevista”. Esperamos que faça muito sucesso na nova jornada , um grande abraço e foi um prazer imenso recebe-lo Ronaldo. Abraços .

Me avise assim que sair a publicação!

Um abraço!

@LucasCanosa

 

%d blogueiros gostam disto: